A volta ao trabalho: saiba como evitar a depressão pós-férias

Retomar a rotina depois das férias pode desencadear problemas emocionais. Mas é possível se  livrar da tristeza

Voltar à rotina após as férias pode causar uma espécie de depressão.

 
Para algumas pessoas, o retorno às atividades do dia a dia após um período de férias gera grandes problemas físicos, emocionais e comportamentais. Falta motivação para levantar, para se maquiar e até para escolher a roupa para ir trabalhar. Em vez de se sentir descansada e renovada, a pessoa dá sinais de estafa, mostrando-se mais preocupada, desmotivada e irritada que o normal.
 
De acordo com Leonard Verea, médico psiquiatra e especialista em medicina do trabalho, a chamada depressão pós-férias é muito comum e acontece com mais de 20% das pessoas que retornam ao trabalho, após períodos entre 20 a 40 dias de folga.
 
E não é somente o mal-estar psicológico que acomete quem volta das férias para a rotina do dia a dia. O corpo também costuma dar sinais claros de que algo não está normal. “Os principais sintomas físicos são dores musculares, cansaço, insônia e problemas gastrointestinais. Já os sintomas emocionais são angústia, ansiedade, culpa, raiva”, descreve o psiquiatra Leonard Verea.
  

Insatisfação antes das férias

Segundo especialistas, a depressão pós-férias normalmente tem origem em uma insatisfação anterior com o trabalho. “O problema não acontece de forma súbita, é resultado de um sofrimento que já era percebido antes e que se manifesta com mais intensidade após o período de descanso”, diz o médico.
 
Quando a pessoa já está consciente de que não anda satisfeita com a rotina, o período de férias é importante. O tempo de descanso ou de viagem pode trazer a calma necessária e o desempenho pode até melhorar com as baterias recarregadas na volta ao trabalho.
 
“Uma boa tática para retomar o ritmo e controlar esses sentimentos é listar, antes de sair da rotina, os pontos a serem checados após as férias. Ao voltar, é bom conversar com chefe e colegas, perguntando quais foram os movimentos da empresa no período de ausência. Convém utilizar a vitalidade conquistada no período de férias a seu favor no ambiente de trabalho”, recomenda o dr. Verea.
 

Causas da depressão pós-férias

As causas mais comuns da depressão pós-férias são insatisfação profissional, falta de possibilidade de promoção ou aperfeiçoamento profissional, ambiente hostil ou não-confiável e conflitos interpessoais no trabalho."A volta das férias é uma boa hora de avaliar qual é o foco do problema e, se for preciso, pensar em mudar de emprego ou buscar a ajuda de um especialista. O importante é que o trabalho e a rotina não se transformem em motivo de sofrimento", orienta o médico.
 
A depressão pós-férias costuma durar, em média, duas semanas. Segundo o especialista em medicina do trabalho,  este seria o período de adaptação do corpo a uma rotina a qual não estava mais acostumado. Mas quando os sintomas persistem, é hora de avaliar se não é melhor tomar uma atitude e mudar de vida.
 
Estudar algo diferente ou fazer trabalhos voluntários e experimentar outras atividades profissionais – solicitar uma experiência em outra área da empresa, por exemplo, - são algumas soluções recomendadas a quem faz das férias a razão de viver. Isso é um erro. Afinal, normalmente se passa 11 meses dentro da rotina normal e apenas 30 dias em férias.
 
Copyright foto: iStock
Este documento, intitulado 'A volta ao trabalho: saiba como evitar a depressão pós-férias', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o A revista da mulher (www.arevistadamulher.com.br) ao utilizar este artigo.