0
Obrigado

Algumas palavras de agradecimento nunca são demais.

Dietas restritivas podem causar compulsão alimentar

Pacientes com o transtorno perdem o controle de sua alimentação e comem de maneira exagerada

Compulsão alimentar pode causar doenças crônicas como obesidade e diabetes.


Em pleno século 21, estar gordinha, para muitas mães e avós, ainda é sinônimo de estar saudável. Contudo, a obesidade está longe de ser algo positivo e pode esconder transtornos graves, como a compulsão alimentar.

A equipe d'Revista da Mulher entrevistou uma das maiores especialistas sobre o tema, a nutricionista Sophie Deram, que também é autora do livro O Poder das Dietas. Segundo ela, existe um paradoxo na compulsão alimentar: ela acomete, geralmente, quem está tentando emagrecer.

As dietas restritivas (aquelas que cortam algum grupo alimentar, como carboidrato ou gordura) pioram o quadro da doença, isso por que o apetite do paciente aumenta. A ansiedade e a frustração de nem sempre conseguir seguir a dieta rigorosamente também são fatores que desencadeiam o surgimento da compulsão alimentar.

Ainda segundo Sophie, nas dietas restritivas, nosso corpo deixa de ser nutrido corretamente. Com isso, o cérebro entra em estado de alerta, acha que está em perigo, adapta-se ao estresse e aumenta a fome como mecanismo de proteção. O resultado é comer mais e mais, sem parar. "De 90% a 95% das pessoas que fazem dieta restritiva voltam ao peso inicial ou ganham mais peso", afirma.

Não confunda exagero com compulsão alimentar

Sem uma causa definida, a compulsão alimentar pode chegar de repente, mas sempre depois de fazer uma dieta restritiva. "Estudos mostram que fazer dieta restritiva aumenta até 18 vezes o risco de compulsão alimentar", conta. Sophie define esse transtorno em “comer uma quantidade muito maior do que uma pessoa normal está acostumada, fazendo com que ela tenha a sensação de perda de controle”. Contudo, existe uma diferença entre a compulsão e o exagero.

“Exagerar faz parte do ser humano. Comer um pouquinho a mais numa festa ou daquele bolo delicioso não é compulsão. Compulsão representa a perda de controle, com sensação de vergonha”, explica a nutricionista. Quando o paciente chega nesse ponto, é hora de procurar ajuda. “É muito difícil sair desse ciclo vicioso sozinho", aleta a nutricionista.

Tratamento

Já existe terapia para curar a compulsão alimentar. “Eu fico muito triste de ver no hospital mulheres que ficaram anos sem procurar ajuda, achando que elas eram fracassadas, fracas e perdendo a força de vontade” lamenta a especialista. Por isso, buscar ajuda já é o primeiro passo para começar o tratamento. 

Em seguida, é preciso identificar os sintomas. O primeiro dele é a culpa. "Geralmente a pessoa tenta não comer, mas quando vai se alimentar, come com culpa ou acredita que está se despedindo do alimento, pois não sabe quando vai comê-lo novamente. Isso pode desencadear uma perda de controle assustadora", alerta.

A especialista conta que o tratamento é geralmente feito por uma equipe multidisciplinar composta por psicólogos, psiquiatras e nutricionistas. “O psiquiatra faz o diagnóstico médico, depois, trabalhamos o psicológico do paciente em conjunto com a nutricionista a partir de uma reeducação alimentar”, explica. Segundo a nutricionista, cerca de 10 sessões já são suficientes para curar a doença. 

A maior dificuldade para tratar a compulsão alimentar, de acordo com Sophie é a ansiedade. “A pessoa sempre está ansiosa pra emagrecer, por isso é difícil explicar que isso demora um tempo, afinal, o corpo foi muito agredido.” Outra dificuldade é quando o paciente, ainda sem terminar o tratamento, acha que já está recuperado e abandona o consultório. 

Riscos para a Saúde

A compulsão, que já é considerada uma doença, apresenta riscos para a saúde bastante significativos. Se não for tratada, pode desencadear transtornos como bulimia, além de ganho de peso, baixa autoestima e alteração metabólica do corpo, com risco de doenças crônicas como obesidade e diabetes. Por isso, o tratamento é fundamental

Como todos os transtornos alimentares, para prevenir a compulsão alimentar é preciso fazer as pazes com a comida. "Lembre-se que não é fazendo dieta que você vai emagrecer de maneira sustentável. É preciso fazer uma reeducação alimentar", finaliza Sophie.

Copyright foto: iStock

Publicado por . Última modificação: por oRedacao.

Este documento, intitulado 'Dietas restritivas podem causar compulsão alimentar', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o A Revista Da Mulher (https://www.arevistadamulher.com.br/) ao utilizar este artigo.
Adicionar comentário

Comentário

Comentar a resposta do usuário anônimo