Saiba como regular a flora intestinal

Uma flora intestinal em desequilíbrio pode representar diversos riscos à saúde. Confira as dicas para mantê-la saudável

Confira as dicas da especialista para manter a flora intestinal saudável.


A flora intestinal é a comunidade microbiana que habita todo o trato gastrointestinal, desde a boca até o ânus. Esses micro-organismos são de diferentes "famílias" (entre diferentes bactérias) e devem estar em equilíbrio

Nutricionista e professora da Faculdade de Medicina de Petrópolis, Brigitte Olichon explica que “ter uma flora intestinal equilibrada significa ter saúde. O equilíbrio quer dizer que os micro-organismos benéficos estão em maior número do que os micro-organismos prejudiciais. Quando não estamos em equilíbrio, podemos apresentar diversas doenças, como obesidade, diabetes, câncer, doenças cardiovasculares, alergias e, claro, doenças intestinais”.

Além disso, acrescenta Brigitte, a saúde do intestino tem sido muito estudada porque dela depende a saúde do organismo como um todo. “Um intestino desconfortável tira o foco e a concentração, deixa-nos irritados e piora a pele, cabelos, fome, sono, enfim, toda a qualidade de vida”, alerta.

O que contribui (ou não) para uma flora intestinal saudável

De acordo com a nutricionista, muitos fatores interferem positiva ou negativamente para a saúde do microbioma intestinal. Garantir que os micro-organismos estejam presentes e saudáveis é fundamental. Para isso, é necessário melhorar a qualidade da alimentação e mudar alguns hábitos, além de administrar o estresse. 

Segundo estudos, ter nascido de parto normal e ter sido aleitado são fatores que contribuem para o equilíbrio da flora intestinal. Dieta, idade e estado geral de saúde também fazem parte da lista. Entretanto, vários fatores podem atrapalhar ou interferir negativamente na saúde do microbioma intestinal, causando disbiose (quando os micro-organismos potencialmente patogênicos estão em maior número do que os micro-organismos benéficos).

São eles: o uso indiscriminado de medicamentos como antibióticos, anti-inflamatórios, laxantes, anticoncepcionais, estrógenos, corticoides, além de estresse, depressão, a ansiedade, excessiva exposição a toxinas ambientais (fumaça, por exemplo), hipocloridria gástrica (pouca produção de ácido gástrico), sistema imunológico debilitado e alimentação inadequada.

Alimentação: grande alida

Em relação à alimentação, estudos comprovam que a chamada dieta ocidental (rica em proteínas animais e gorduras, e pobre em legumes, verduras e frutas) aumenta o desequilíbrio do microbioma nas pessoas em geral. 

Por isso, com a ajuda da nutricionista, A Revista da Mulher separou algumas dicas sobre alimentos que benéficos para a microbiota intestinal. Confira:

  • Os micro-organismos que compõem a flora intestinal podem ser repostos através do consumo de probióticos, que muitas vezes são consumidos na forma de pós ou cápsulas. Eles também estão presentes no iogurte, alguns queijos fermentados (gouda, cheddar), cottage, queijo de cabra e leites fermentados, como o kefir. Neste caso, vale ressaltar que cada marca trabalha com uma família de micro-organismos, e por isso a seleção, validade, dose e quantidade de consumo varia de pessoa para pessoa.

  • Uma vez que os micro-organismos estão presentes, é necessários alimentá-los e para isso existem os prebióticos, que pode ser obtido através do consumo de alguns alimentos ricos em amido (batata, arroz), pectina (frutas), goma-guar, inulina (chicória), hemicelulose (vegetais) e glucana (aveia). O consumo de fibras, vegetais e frutas também é essencial.

Copyright foto: iStock
Este documento, intitulado 'Saiba como regular a flora intestinal', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o A revista da mulher (www.arevistadamulher.com.br) ao utilizar este artigo.