4
Obrigado

Descubra o que são os nutracêuticos

Também conhecidos como "alimentos em cápsulas", os nutracêuticos ajudam a prevenir e tratar doenças, além de trazer benefícios para a pele, unhas e cabelos

Nutracêuticos são suplementos alimentares que podem ser encontrados em cápsulas ou comprimidos.


Uma das principais apostas para o futuro da indústria de medicamentos são os nutracêuticos. Conhecidos como "alimentos em cápsulas", são suplementos dietéticos que contêm a forma concentrada de compostos bioativos de alimentos, como o licopeno, do tomate, e o ômega 3, dos peixes.

Os benefícios dos nutracêuticos para a saúde incluem a prevenção e o tratamento de doenças, além de uma vida mais saudável. "Eles são uma espécie de alimento com ação de medicamento. Para a substância ser considerada nutracêutico, deve ser tomada em doses mais concentradas que as presentes nos alimentos”, explica o Dr. Caio Henrique Cavalcanti, especialista em nutrologia e longevidade.

Estudos científicos mostram que os nutracêuticos podem trazer ainda benefícios para a pele, unhas, cabelos e até emagrecer. "Os nutracêuticos cada vez mais fazem parte do receituário do dermatologista, seja para auxílio dos tratamentos na diminuição da flacidez, na melhora da textura da pele, redução de rugas finas, atenuação de manchas, crescimento de cabelos, dermatite seborreica (caspa), proteção solar, fortalecimento de unhas, e muito mais”, esclarece Caio.

Quem deve tomar?

Na correria do dia a dia, muitas pessoas não encontram tempo para se alimentar adequadamente, por isso é comum a carência de alguns nutrientes necessários para a manutenção da saúde. Neste caso, os nutracêuticos contribuem na complementação das necessidades diárias de nutrientes.

Além das cápsulas, eles podem ser encontrados em forma de comprimidos. Os nutracêuticos podem ser comprados em farmácias e lojas de produtos naturais. De acordo com o nutrólogo, dependendo do suplemento, o ideal é consumir 1 cápsula por dia, de preferência após o café da manhã.

Se consumidos na dose incorreta ou por tempo excessivo, pode trazer riscos, como hipervitaminoses. O ideal é conversar com um nutricionista para adequar o consumo de maneira individualizada e de acordo com as necessidades nutricionais e objetivos de cada um.

Nutracêuticos e alimentos funcionais: qual a diferença?

Estudos comprovam que uma alimentação rica em nutracêuticos e alimentos funcionais tem um papel importante na promoção da saúde e na prevenção e cura de doenças. No entanto, eles não são sinônimos. 

Os alimentos funcionais (tomate, cebola, alho, uva, entre outros) são consumidos in natura e devem fazer parte da alimentação diária. Já os nutracêuticos são suplementos dietéticos e devem ser receitados por um nutricionista. Vale lembrar que um não substitui o outro, devendo ser, então, complementares.

Exemplos de nutracêuticos e seus benefícios

  • Isoflavona (soja): ajuda a controlar os sintomas da menopausa, além de prevenir doenças como a osteoporose e os cânceres de mama e de útero.
  • Licopeno (tomate): previne e controla os cânceres de próstata, cólon, pâncreas e pulmão, combate os radicais livres e favorece o sistema imunológico.
  • Lignanas (linhaça): previne e controla os cânceres de mama e pulmão, estimula o sistema imunológico e contribui para a redução do colesterol ruim (LDL).
  • Polifenóis (chá verde): previne diversos cânceres e doenças cardiovasculares.
  • Ômega 3 (peixes): melhora o sistema imunológico, é anti-hipertensivo e anticancerígeno.
  • Resveratrol (uvas vermelho-escuras e vinho tinto): anticancerígeno, melhora a aparência da pele, reduz o colesterol ruim e contribui para a redução das toxinas do organismo.

Copyright foto: iStock