10
Obrigado

Algumas palavras de agradecimento nunca são demais.

Infecção urinária na gravidez: conheça as causas e saiba como evitar

Problema traz muitos incômodos para a gestante, mas pode ser evitado com medidas simples

É importante tratar de maneira adequada a infecção urinária na gravidez, sempre com ajuda profissional.


Muitas mulheres conhecem os sintomas mais comuns infecção urinária, entre eles aquela vontade frequente de fazer xixi e uma sensação de "queimação" ao urinar. Caso isto aconteça no período da gestação, estes sinais podem ficar ainda mais fortes, causando desconfortos. 

De acordo com o ginecologista Bruno Fernandes Gouveia, é possível que a mulher tenha infecção em qualquer parte do trato urinário, que começa nos rins, onde a urina é produzida, continua pelo ureter até a bexiga e termina na uretra (pequeno tubo por onde a urina é eliminada). “Geralmente são causadas por bactérias da pele, da vagina ou até mesmo do ânus, que acabam passando pela uretra", explica. 

“É importante lembrar que a gravidez faz com que as mulheres fiquem bem mais suscetíveis a infecções do trato urinário. Isto acontece pelo fato de que os hormônios da gestação deixam os músculos do ureter mais ‘frouxos’, diminuindo assim o fluxo de urina dos rins para a bexiga”, lembra o ginecologista. 

O especialista destaca que as infecções urinárias, ou cistite, são mais comuns em mulheres sexualmente ativas, principalmente na faixa etária entre os 20 e 50 anos. “Existem casos que são assintomáticos, o que torna ainda mais importante a realização de exames de urina durante a gestação, uma vez que, caso não seja devidamente tratada, a infecção urinária pode causar muita dor e até ser perigosa, migrando para a região dos rins”, ressalta.

Sintomas da infecção urinária

Exceto nos casos em que é assintomática, a infecção urinária é acompanhada sempre por alguns dos sintomas abaixo: 
  • Dor ou queimação ao urinar;
  • Dor na pelve, no baixo ventre, ou do lado;
  • Febre;
  • Sensação alternada de calor e frio;
  • Vontade incontrolável e frequente de urinar;
  • Urina com cheiro forte;
  • Mudança repentina na quantidade de urina, seja para mais ou para menos;
  • Sangue na urina;
  • Pus na urina;
  • Dor durante a relação sexual.

Nos casos mais graves, quando a infecção passa para os rins, os sintomas são febre alta, tremores, náusea e vômito, diarreia, dor de cabeça e dor constante na área de um ou dos dois rins.

Riscos da infecção urinária na gravidez

É importante que diante do aparecimento de qualquer sintoma a gestante comunique rapidamente ao ginecologista, pois caso não seja tratada de maneira correta ela pode levar a uma infecção nos rins, aumentando os riscos de causar até mesmo um parto prematuro. Por isso, faz parte da rotina que o próprio médico peça logo na primeira consulta de pré-natal um exame de urina, repetindo o mesmo por volta da metade da gravidez. 

Quando constatada a infecção urinária, o médico poderá receitar antibióticos de maneira segura para tratar o problema. Para que o tratamento seja feito da melhor maneira, o profissional vai pedir um exame de cultura da urina para identificar qual é o tipo de bactéria que está causando o problema.

Saiba como evitar

  • Evite segurar a urina quando tiver vontade ou após a relação sexual;
  • Ao ir ao banheiro, sempre limpar-se usando o papel higiênico no sentido de frente para trás, para evitar que as bactérias do ânus se espalhem;
  • Fazer a higiene íntima todos os dias e após as relações sexuais com sabonete suave e sem perfume;
  • Beber bastante água durante todo o dia.

É importante lembrar que somente especialista está capacitado para identificar uma infecção urinária e, principalmente, indicar o uso de medicamentos, sobretudo durante a gravidez.

Copyright foto: iStock 

Publicado por . Última modificação: por oRedacao.

Este documento, intitulado 'Infecção urinária na gravidez: conheça as causas e saiba como evitar', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o A Revista Da Mulher (https://www.arevistadamulher.com.br/) ao utilizar este artigo.
Adicionar comentário

Comentário

Comentar a resposta do usuário anônimo