0
Obrigado

Corrimento na gravidez: entenda melhor a leucorreia e suas implicações

As gestantes devem ficar atentas ao surgimento de corrimento durante a gravidez, pois eles podem indicar que algo não vai muito bem

Dependendo da cor, cheiro e textura o corrimento pode significar problemas.


Durante os nove meses qualquer alteração deve deixar em alerta a futura mamãe. A gestante deve comunicar logo o incômodo ao obstetra que a acompanha no pré-natal. O mesmo ocorre no caso de surgimento de corrimento anormal na gravidez, também conhecido como leucorreia.

De acordo com a ginecologista Rosa Maria Neme, que também é Diretora do Centro de Endometriose São Paulo, tanto a cor como o cheiro do corrimento devem ser observados, pois são esses fatores que determinam se a secreção pode representar ou não um perigoso para a gestante.

É normal ter corrimento na gravidez?

A ginecologista explica que é normal sim a mulher apresentar um corrimento leitoso, sem cheiro e sem cor durante a gestação. “O corrimento transparente ocorre devido às alterações hormonais e aumento do fluxo sanguíneo na região pélvica”, ensina a especialista.  

Entretanto, uma alteração dessas características (cor e cheiro) pode indicar algum problema e deve ser melhor investigado pelo médico. “O corrimento amarelo, grosso e com cheiro forte pode indicar uma infecção como a tricomoníase, vaginose bacteriana, gonorreia ou clamídia e, por isso, é importante informar ao obstetra o quanto antes para que o tratamento seja iniciado”, explica.

Impactos na gravidez

Rosa Maria Neme reforça que, ao notar anormalidades no corrimento, a gestante deve procurar seu ginecologista imediatamente para que ele possa investigar e prescrever o tratamento adequado, quando for necessário. Esta é uma medida simples que pode evitar complicações.

Em relação aos possíveis riscos, a especialista reforça que “o corrimento leitoso/transparente não oferece nenhum risco à criança, já o de cor amarelada e com cheiro pode indicar infecções que podem prejudicar tanto a gestante quanto o bebê”.

Para finalizar, a ginecologista aponta alguns cuidados que podem ajudar a evitar o problema. “O uso de absorventes diários pode aumentar a secreção vaginal e predispor a infecção, por isso é bom não usar. Além disso, o uso de sabonete íntimo pode ajudar a evitar a infecção, melhorando a imunidade local”, conclui.

É sempre bom lembrar que somente um médico especialista é capaz de avaliar cada situação e dar um diagnostico definitivo. Isso é essencial para que o tratamento seja o mais adequado possível, o que irá garantir o melhor para a mamãe e o bebê.

Copyright foto: iStock
Este documento, intitulado 'Corrimento na gravidez: entenda melhor a leucorreia e suas implicações', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o A Revista Da Mulher (https://www.arevistadamulher.com.br/) ao utilizar este artigo.