1
Obrigado

Saiba reconhecer os sintomas da tuberculose

Reconhecer os sintomas da tuberculose é o primeiro passo para que se possa buscar um tratamento adequado para a doença

Conhecer os sintomas da tuberculose pode ajudar a tornar o tratamento mais eficaz.


Mesmo se tratando de uma doença antiga e muito comum para a população em geral, a tuberculose ainda deixa dúvidas, principalmente em relação a como identificar os seus sintomas. Vale lembrar que é essencial a busca por um tratamento adequado já nos primeiros sinais da doença, o que pode tornar a cura ainda mais rápida.

Leticia Villiger, cirurgiã torácica do Hospital Bandeirantes, explica que a tuberculose “é uma doença contagiosa, provocada por uma bactéria conhecida como bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis) e que pode atingir quase todos os tecidos do corpo. A tuberculose pulmonar é a forma mais frequente da doença, porém pode afetar também outras áreas tais como laringe, ossos, articulações, pele, gânglios linfáticos, intestinos, rins e o sistema nervoso”.

Como se contrai a doença

A especialista afirma que é preciso conhecer melhor sobre como se transmite a bactéria mycobacterium tuberculosis, como forma de buscar se proteger. “A tuberculose se dissemina através do ar, nas pequenas gotículas que são expelidas quando pessoas com tuberculose infecciosa tossem ou espirram. Contatos próximos (quem convive com pessoas com a doença) têm alto risco de se infectarem. A cadeia de transmissão pode ser interrompida isolando-se pacientes com a doença ativa e iniciando-se uma terapia antituberculose eficaz”, ressalta.

Reconhecendo os sintomas

Alguns sintomas da doença se parecem com os da gripe no início, mas se diferenciam com o passar do tempo. “A tuberculose afeta principalmente os pulmões e os sintomas incluem tosse prolongada com duração de mais de três semanas, dor no peito e tosse com escarros com sangue. Além disso, o paciente tem ainda febre, calafrios e a sudorese noturna, perda de apetite e de peso, e cansaço fácil”, explica Leticia Villiger. 

A especialista destaca ainda que apesar de a doença ter cura, é preciso um esforço maior do paciente para que ela não volte. “É preciso ter determinação, disciplina e perseverança no tratamento, pois sem isso a tuberculose pode se tornar resistente e muito mais difícil de reverter seus danos”, reforça.

“Os tratamentos recentes para a tuberculose ativa incluem uma combinação de quatro drogas, que são reduzidas a critério médico. O tratamento tem a duração de pelo menos seis meses. É uma doença de notificação compulsória, para melhor controle de saúde pública, ou seja, todos os casos confirmados devem ser notificados", ressalta a especialista. 

Leticia Villiger afirma ainda que os contatos próximos do paciente serão avaliados e as medicações são fornecidas pelo governo, lembrando que não se consegue comprar os remédios em uma farmácia normal.
 
Copyright foto: iStock