0
Obrigado

Voilettes: como usar o véu que conquistou as noivas com estilo vintage

Neoclássico, este acessório imprime personalidade ao vestido de noiva

O voilette conquistou noivas com personalidade e estilo romântico.


Diferente da casquete e do fascinator, que são modelos de chapéus pequenos presos à cabeça, o voilette conquistou as noivas por agregar um estilo clássico e ao mesmo tempo descontraído à produção do casamento. Este véu com tramas pequenas e vazadas que cobrem ligeiramente o rosto está em alta, especialmente entre as noivas que desejam um visual único e moderno.

Na Europa e nos Estados Unidos, o uso deste acessório é muito comum, especialmente nos casamento diurnos. Por aqui, as noivas apostam no voilette em festas mais despojadas, realizadas na praia ou no campo. Mas isso não significa que este acessório não possa ser usado em cerimônias à noite. “Muitas noivas que gostam deste estilo de acessório não o deixam de usar por este motivo, mas sim, o adaptam à sua realidade. Tudo é uma questão de estilo e gosto pessoal”, acredita a designer de acessórios Elizabete Munzlinger. 

A designer afirma que, em geral, as noivas escolhem o voilette por sua versatilidade e o charme que só esse acessório tem. "Ele é um complemento que tem alma, traz um atmosfera de romance e mistério. Para muitas noivas ele é irresistível. Aquelas que não querem abrir mão do véu tradicional na cerimonia religiosa, optam pelo uso do voilette na cerimônia no civil”, conta. 

Questão de estilo

De modo geral, não existem regras para o uso do voilette. Assim como outros acessórios, ele deve harmonizar bem com todo o look da noiva. “Quando se fala em produção de noiva a palavra-chave é equilíbrio. É preciso fazer escolhas. Se a intenção é dar destaque ao acessório de cabeça, então um vestido que não chame tanto a atenção será a melhor escolha, não importando o estilo”, diz Elizabete. 

Voilette preto e branco traz um charme a mais ao look noiva.


A estilista Carol Hungria afirma que o voilette se adapta melhor com vestidos mais sequinhos ou curtos que tenham uma pegada mais vintage. Se a noiva escolher peças mais fluidas e informais, sem muitos bordados ou aplicações, o voilette destaca ainda mais o look de casamento. “Ele combina tanto para festas diurnas quanto noturnas, mas se for à luz do dia, é interessante escolher modelos que não cubram completamente o rosto e tenham tramas mais abertas para ser mais fresco e arejado”, acrescenta. 

O segredo está no equilíbrio entre os elementos que compõem a produção da noiva e que ela se sinta confortável, linda e feliz com a definição. “Antes de optar pelo acessório, a noiva deve primeiramente se sentir segura com sua escolha. É imprescindível também prová-lo com o vestido e estar certa de que realmente combina com sua personalidade, estilo e com a ocasião”, pontua a estilista. 

Como usar?

A forma e a posição do voilette acompanham o gosto pessoal da noiva e o estilo do penteado. Versátil, este acessório se ajusta bem a praticamente todos os tipos de cabelos – lisos, cacheados ou afros. “O voilette que cobre todo o rosto combina muito com grinaldas e cabelos soltos. Já os que cobrem apenas parte ficam lindos com coques mais desarrumados”, explica Carol Hungria.

O voilette pode ser feito sob medida para combinar com o vestido e toda a produção da noiva.


Da mesma forma que outros acessórios, este adorno combinado ao cabelo preso confere um ar mais formal. Para cerimônias na praia ou campo, com clima mais descontraído, penteados com cabelos soltos ou só um pouco presos ganham vida com o voilette. 

A dica é adquirir este item antes da prova de cabelo: com ele nas mãos, o hairsytlist pode fazer testes e ver qual é a melhor escolha. Afinal, muitas vezes as noivas têm uma ideia em mente e, durante a prova, descobrem uma forma completamente diferente de usar o acessório.

A escolha certa

Antes de escolher um voilette para complementar o vestido de noiva, é importante observar os efeitos das diferentes tramas sobre o rosto. Dos mais fechados aos mais abertos, este véu confere impressões que precisam ser testadas antes da compra. “Não existe regras para decidir o modelo perfeito, mas o ideal é que os elementos que tenham no voilette ou casquete conversem com o vestido, para que no final fique um conjunto harmônico”, assegura a estilista. 

As noivas devem equilibrar o estilo do vestido com a escolha do voiletee.


Já a designer Elizabete Munzlinger lembra que outro detalhe importante, que deve ser levado em conta, é a remoção do pequeno véu após a cerimônia – o que é recomendado caso ele seja usado sobre o rosto, para que a noiva possa curtir a festa confortavelmente. “Neste caso, existem modelos de voilette em que o adorno é desenvolvido em separado, permitindo a remoção apenas do véu e permanecendo com o arranjo no cabelo, podendo inclusive, variar o seu posicionamento no penteado”, esclarece. 

Como na maioria dos casos este acessório é feito sob medida e personalizado, pesquisar um fornecedor de confiança é fundamental. Buscar referências de modelos, saber mais sobre as técnicas de montagem e tempo necessário para a confecção também ajuda na escolha do voilette que será um detalhe a mais na produção da noiva. 

Copyright foto: Divulgação/ Elizabete Munzlinger/ Atelier Carol Hungria
Este documento, intitulado 'Voilettes: como usar o véu que conquistou as noivas com estilo vintage', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o A revista da mulher (www.arevistadamulher.com.br) ao utilizar este artigo.