0
Obrigado

Cientistas descobrem alga nutritiva com sabor de bacon

Criada por pesquisadores americanos, a alga dulse promete virar sensação em dietas por ter alto teor de proteínas, baixa caloria e gosto similar ao do bacon

Alga com gosto de bacon promete ser o novo superalimento.


Zero gordura e muito sabor. Uma descoberta de cientistas da Universidade de Oregon, nos Estados Unidos, promete revolucionar dietas e até a gastronomia em geral. A alga dulse, uma espécie avermelhada encontrada nos oceanos Atlântico e Pacífico, pode ser o novo superalimento do momento por ser altamente nutritivo e ter gosto de bacon.  

Os pesquisadores fizeram a descoberta durante um outro experimento no departamento de pesquisas marinhas da instituição e acabaram patenteando o novo alimento após testes iniciais.

Na pesquisa, eles se surpreenderam com os valores nutricionais da alga vermelha. Além de ser uma excelente fonte de minerais, vitaminas e antioxidantes, a nova espécie de alga, chamada Palmaria palmata, tem 16% de proteína em peso seco e quantidade de calorias equivalente a da couve, segundo os pesquisadores. 

Fora todos os benefícios nutricionais, o que mais chamou a atenção dos cientistas foi mesmo o fato da alga ter gosto de bacon, como afirmam seus criadores. “Se você fritar, fica com gosto de bacon, não de alga. E é um gosto de bacon bem forte”, disse Chris Langdon, um dos responsáveis pela descoberta, em artigo publicado no jornal da universidade.

Com o resultado, a alga foi fornecida para diversos restaurantes da cidade de Portland (capital de Oregon) para ser testada como novo ingrediente em receitas. Chefs e outros pesquisadores estão experimentando as diferentes formas de preparo para liberar o consumo e comercialização da dulse na indústria alimentícia.

Copyright foto: iStock
Este documento, intitulado 'Cientistas descobrem alga nutritiva com sabor de bacon', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o A Revista Da Mulher (https://www.arevistadamulher.com.br/) ao utilizar este artigo.