0
Obrigado

Thammy Miranda diz que gostaria de ser tratada no gênero masculino

Em entrevista no Programa do Jô, a filha da cantora Gretchen disse que não pensa em fazer cirurgia para trocar de sexo, mas prefere que a tratem como "ele"

Thammy Miranda: a filha de Gretchen quer ser tratada por "ele".


Além das mudanças no visual, a atriz (ou o ator) Thammy Miranda está assumindo aos poucos sua identidade masculina. Convidada da edição da última sexta-feira (24) do Programa do Jô, na Globo, a filha da cantora Gretchen revelou que prefere ser tratada pelo pronome masculino ("ele"), apesar do público ainda não estar acostumado. 

Thammy comentou que, por ser uma pessoa pública,"leva um tempo" para as pessoas se acostumarem com a mudança. Ela, que foi símbolo sexual nos anos 1990, declarou ter descoberto sua homossexualidade por volta dos 16 anos e, a partir de então, passou a não se sentir bem em um corpo feminino. 

No momento, a atriz está preparando um livro para contar detalhes de seu processo de transiçãoque inclui tratamento hormonal e uma cirurgia de retirada dos seios. Em entrevistas recentes, ela já declarou que pretende manter o nome Thammy e ainda não pensa em fazer uma cirurgia de redesignação do sexo, apesar de se considerar transexual. 

+Mãe de Kristen Stewart desmente declaração de que atriz namore uma mulher

No programa, Thammy levantou algumas questões comuns em relação à situação dos transgêneros no país. Entre elas, a atriz contou que ainda tem dificuldades para frequentar os banheiros masculinos, onde costuma ser hostilizada. “No Brasil, ainda vou ao [banheiro] feminino, porque sempre tem um cara que pergunta se estou lá para dar um confere. É constrangedor", disse. O programa na íntegra pode ser visto aqui.

Copyright foto: Francisco Cepeda/AgNews
Este documento, intitulado 'Thammy Miranda diz que gostaria de ser tratada no gênero masculino', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o A revista da mulher (www.arevistadamulher.com.br) ao utilizar este artigo.