0
Obrigado

"Viagra feminino" está mais perto de chegar às farmácias

A flibanserina, remédio que devolveria a libido às mulheres, recebeu o primeiro sinal verde rumo à aprovação pela autoridade de vigilância sanitária dos EUA

Flibanserina: substância que promete ser o "Viagra feminino" prestes a ser aprovado pelo FDA.


Na última quinta-feira (04), peritos ligados ao órgão de controle de medicamentos do governo americano, o FDA, recomendaram a aprovação da flibanserina, o princípio ativo de uma pílula para aumentar o desejo sexual em mulheres, que começa a ser chamada de Viagra feminino ou pílula rosa.

Essa primeira aprovação, que veio após duas respostas negativas, é considerada um grande passo rumo à autorização de venda da droga. Uma comissão de especialistas da agência reguladora votou, por 18 votos contra 6, a favor da entrada do remédio no mercado, com a ressalva de que sejam tomadas medidas para assegurar que pacientes estejam conscientes de seus efeitos colaterais, que incluem desmaios, sonolência, enjoo, tonturas e diminuição da pressão arterial.

A decisão final sobre a liberação ou não do medicamento será somente em agosto, mas as recomendações dos especialistas são frequentemente acatadas pelo FDA. Desde que foi lançado o Viagra (citrato de sildenafila), medicamento voltado para combater a disfunção erétil masculina, há cerca de 20 anos, a indústria farmacêutica investe intensamente na busca de uma solução para a falta de desejo feminino.

Subjetividade do prazer feminino

A dificuldade de aprovação da flibanserina, no entanto, está ligada ao que especialistas chamam de subjetividade do prazer feminino. Enquanto o mecanismo de ação do Viagra - que trata disfunção erétil e não falta de libido - é diretamente nos vasos sanguíneos, estimulando a irrigação na zona peniana e promovendo a ereção, a pílula do prazer feminino age sobre a serotonina e outras substâncias químicas do cérebro.

A substância do Viagra feminino começou originalmente a ser estudada como um antidepressivo, mas depois os estudos foram reaproveitados com foco em uma possível pílula da libido, depois que as mulheres participantes das pesquisas relataram níveis mais elevados de satisfação sexual.

O esforço para despertar o interesse sexual por meio de química do cérebro é a mais recente tentativa da indústria de medicamentos para tratar de problemas sexuais das mulheres. Se aprovada, a flibanserina seria recomendada para mulheres na pré-menopausa, com transtorno do desejo sexual hipoativo, descrito como uma falta de apetite sexual que causa sofrimento emocional.

Os médicos devem descartar um número de causas possíveis antes de diagnosticar a doença, incluindo depressão, problemas de relacionamento e transtornos de humor.

Copyright foto: iStock
Este documento, intitulado '"Viagra feminino" está mais perto de chegar às farmácias', está disponível sob a licença Creative Commons. Você pode copiar e/ou modificar o conteúdo desta página com base nas condições estipuladas pela licença. Não se esqueça de creditar o A revista da mulher (www.arevistadamulher.com.br) ao utilizar este artigo.