0
Obrigado

Aplicativo pode ajudar pesquisas médicas

Lançado há duas semanas e disponível no sistema operacional da Apple, o ResearchKit é uma plataforma com a qual os usuários podem contribuir às pesquisas clínicas com informações sobre certas doenças

Novo aplicativo teve boa adesão em pesquisas médicas de universidades inglesas


Pacientes de asma, câncer e Parkinson, entre outras doenças, poderão servir aos estudos clínicos, sem com isso precisar passar pelas burocráticas e custosas vias desta delicada relação entre pacientes voluntários e cientistas pesquisadores. O aplicativo ResearchKit foi criado com a proposta de apoiar o segmento de saúde e otimizar a forma de interação com a população.

A plataforma serve como ponte entre os pacientes e os profissionais da área médica. A adesão surpreendeu os cientistas que já lançaram mão da nova ferramenta.

Com o objetivo de coletar uma quantidade maior de dados e melhorar o resultado de pesquisas já iniciadas em laboratórios, as faculdade britânicas de Stanford e Oxford uniram esforços para divulgar uma de suas cinco pesquisas presentes no ResearchKit. Mais de 10 mil pessoas aderiram.

A popularidade da empreitada pode significar uma mudança significativa na forma de pesquisas clínicas, na busca de novos medicamentos ou, simplesmente, no monitoramento da eficácia dos fármacos já disponíveis. Por outro lado, alguns pesquisadores ressaltam que é preciso ter cautela. Como a participação é espontânea e a plataforma é aberta, corre-se o risco de se coletar informações incorretas e de certas adesões não serem idôneas.

Aplicativos para monitorar a pressão arterial, as calorias ingeridas e até a curva glicêmica já existem e têm ajudado milhões de pessoas ao redor do mundo a monitorar a saúde na palma a mão. Agora é cedo para medir o grau de benefício dos aplicativos voltados para o auxílio de pesquisas médicas, mas ao menos parece ser mais um passo na direção de um futuro no qual os smartphones ajudarão no combate às doenças.

Copyright foto: iStock